Categorias
TecnologiaInovaçãoGestãoJurídicoTodos
Tags
Retrospectiva Produção Agrícola Crescimento Conservação MAPA Agro Agronegócio Política Agrícola Agricultura Agropecuária Exportações Mercados Comex Preservação Ambiental Rural Modernização Inovação Forasteragro
Com políticas públicas assertivas de apoio ao produtor rural, a safra de grãos prevista para 2019/2020 é de 246,37 milhões de toneladas – uma estimativa da Conab, que pode representar um recorde histórico para o agronegócio.

Nos últimos 40 anos, enquanto a área ocupada pela agricultura brasileira aumentou 33%, a produção agrícola nacional registrou um aumento bem maior: algo em torno de 386%. Isso significa que o País produziu mais sem aumentar, na mesma proporção, a área plantada.

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com políticas públicas assertivas de apoio ao produtor rural, a safra de grãos prevista para 2019/2020 é de 246,37 milhões de toneladas – estimativa que pode representar um recorde histórico, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Já o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), indicador que mostra o desempenho das lavouras e da pecuária, é estimado em R$ 609,5 bilhões, em 2019, o que pode resultar no segundo maior VBP da série analisada pelo Ministério da Agricultura.

Segundo o Mapa, além disso, programas como o ABC Cerrado (Agricultura de Baixo Carbono) e de incentivos ao setores de produtos orgânicos e de bioinsumos revelam as novas tendências do agronegócio brasileiro.

Com relação às principais ações implementadas neste ano, o órgão federal também destaca a simplificação do acesso ao crédito rural, o fortalecimento do cooperativismo e da assistência técnica e o desenvolvimento de novos produtos com o auxílio da tecnologia e da pesquisa.

Esses números fazem parte da Retrospectiva 2019 publicada pelo Ministério da Agricultura em seu site oficial, clique aqui.

Simplificação do crédito rural é um dos destaques da Retrospectiva 2019 do Mapa. Foto: Divulgação

Exportações e aberturas de mercados

Brasil ocupa o primeiro lugar nas exportações mundiais de açúcar, café, suco de laranja, carne bovina, carne de frango e soja em grão. Foto: Divulgação

Ainda conforme o Mapa, com safras recordes, o Brasil vem garantindo o suprimento do mercado interno e as exportações para mais de 160 nações. As exportações do agronegócio atingiram, em 2018, 101,69 bilhões de dólares e representaram 42,39 % das
exportações totais do País, que foram de 239,89 bilhões de dólares.

Em 2019, no período de janeiro a outubro, o valor exportado foi de 80,2 bilhões de dólares, ou seja, mais de 43,23% das exportações totais, somando 185,5 bilhões de dólares.

Atualmente, o Brasil ocupa o primeiro lugar nas exportações mundiais de açúcar, café, suco de laranja, carne bovina, carne de frango e soja (grão). Nas exportações globais de milho e algodão, o País aparece na segunda posição.

Em 2019, foram registradas, até novembro passado, 26 aberturas de novos mercados, válidas para produtos diversos, exportados para 16 países, representando oportunidades de acesso a um mercado estimado em quase nove bilhões de dólares.

Além dos lácteos, outra abertura muito importante é a de melões para China, maior mercado consumidor dessa fruta no mundo.

O Mapa também destaca, entre outros pontos, a expansão da rede de adidos agrícolas de 20 para 25 postos, que cobrem 70% do comércio mundial de produtos agrícolas e cinco bilhões de consumidores em potencial.

Preservação ambiental

No campo da sustentabilidade e da inovação, o órgão federal ressalta a importância do projeto ABC Cerrado, uma política agropecuária focada na preservação ambiental e na mitigação de gases de efeito estufa.

Criado para difundir e incentivar adoção de práticas sustentáveis nas propriedades rurais do bioma Cerrado, a iniciativa beneficia produtores de Goiás, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Maranhão, Bahia, Piauí, Minas Gerais, além do Distrito Federal.

ABC Cerrado recuperou aproximadamente 93 mil hectares de pastagens degradadas, em cinco anos de implantação nesse bioma, o que corresponde a uma área de 10 mil campos de futebol

Até o momento, de acordo com o Ministério da Agricultura, o ABC Cerrado recuperou aproximadamente 93 mil hectares de pastagens degradadas, em cinco anos de implantação nesse bioma, o que corresponde a uma área de 10 mil campos de futebol.

Pelo mesmo programa, já foram capacitados 7,8 mil produtores, que passaram a usar a tecnologia quando perceberam o ganho muito rápido de produtividade. Para os próximos anos, o Mapa anuncia que deverá implementar o Plano ABC em outros biomas.

Paisagens rurais

Projeto Paisagens Rurais capacitará e prestará assistência técnica e gerencial a 4 mil produtores rurais de nove Estados e do DF. Imagem: Divulgação Mapa

Voltado para a recuperação ambiental produtiva do bioma Cerrado e a geração de renda, o projeto Paisagens Rurais, lançado neste ano, vai capacitar e prestar assistência técnica e gerencial a quatro mil produtores rurais de nove Estados e do Distrito Federal, orientando o agricultor para o cumprimento do Código Florestal Brasileiro.

Além disso, irá disseminar o uso de práticas de agricultura sustentáveis no bioma mais produtivo do Brasil e que guarda a maior parte da água portável do País. O programa, concebido em parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia, conta com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e da Agência de Cooperação Técnica Alemã (GIZ).

Outros destaques

O Mapa também mencionou como destaque em 2019 o lançamento do Observatório da Agropecuária Brasileira, ferramenta desenvolvida em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que dará aos gestores amplo acesso a informações estratégicas para a tomada de decisões e elaboração de políticas públicas para o setor.

O Ministério da Agricultura ainda destaca a conclusão do Programa Bioinsumos, que irá sistematizar e fomentar serviços, tecnologias e outros processos desenvolvidos a partir de recursos renováveis e adotar práticas alternativas de produção agrícola, pecuária e aquícola, economicamente viáveis e ecologicamente sustentáveis, e chamou a atenção para o recente lançamento do projeto Inovação nas Cadeias Produtivas da Agropecuária para a Conservação Florestal na Amazônia Legal.

A iniciativa tem por objetivo levar inovação para as cadeias produtivas da carne, soja e madeira para que aumentem a produtividade e o valor dos produtos alinhados com o uso sustentável dos recursos naturais e conservação da floresta amazônica. O projeto será implantado de 2020 a 2024 em cinco estados: Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia e Tocantins.

Modernização

Na área de modernização do agro, o Mapa citou, entre outros avanços, o registro automático de bebidas, vinhos e derivados da uva, que agora pode ser feito em apenas uma hora (anteriormente demorava até 60 dias); a emissão, em um dia, dos certificados fitossanitários para cargas em contêineres (o tempo médio era de 10 dias).

O Ministério da Agricultura também cita a integração, a partir de 1º de janeiro de 2020, dos serviços de defesa agropecuária federal, estaduais e da iniciativa privada, por meio do Sistema Brasileiro de Vigilância e Emergências Veterinárias (e-Sisbravet); o desenvolvimento, pela Embrapa, de uma tecnologia inédita para combater a ferrugem asiática, e a integração de dados metereológicos que irá permitir o melhor planejamento de safras e a mitigação de riscos associados a eventos relacionados ao clima.

Acesse aqui, na íntegra, a Retrospectiva 2019 do Mapa.

Por Equipe SNA e A Lavoura

Fonte: A Lavoura e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)

A Foraster Agrointeligência tem quatro pilares de consultoria para seu negócio Agro - Jurídico, Gestão, Inovação e Tecnologia -

Retrospectiva: Produção Agrícola Cresce Quase 400% em 40 anos, aponta MAPA

Com políticas públicas assertivas de apoio ao produtor rural, a safra de grãos prevista para 2019/2020 é de 246,37 milhões de toneladas – uma estimativa da Conab, que pode representar um recorde histórico para o agronegócio.

Nos últimos 40 anos, enquanto a área ocupada pela agricultura brasileira aumentou 33%, a produção agrícola nacional registrou um aumento bem maior: algo em torno de 386%. Isso significa que o País produziu mais sem aumentar, na mesma proporção, a área plantada.

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com políticas públicas assertivas de apoio ao produtor rural, a safra de grãos prevista para 2019/2020 é de 246,37 milhões de toneladas – estimativa que pode representar um recorde histórico, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Já o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), indicador que mostra o desempenho das lavouras e da pecuária, é estimado em R$ 609,5 bilhões, em 2019, o que pode resultar no segundo maior VBP da série analisada pelo Ministério da Agricultura.

Segundo o Mapa, além disso, programas como o ABC Cerrado (Agricultura de Baixo Carbono) e de incentivos ao setores de produtos orgânicos e de bioinsumos revelam as novas tendências do agronegócio brasileiro.

Com relação às principais ações implementadas neste ano, o órgão federal também destaca a simplificação do acesso ao crédito rural, o fortalecimento do cooperativismo e da assistência técnica e o desenvolvimento de novos produtos com o auxílio da tecnologia e da pesquisa.

Esses números fazem parte da Retrospectiva 2019 publicada pelo Ministério da Agricultura em seu site oficial, clique aqui.

Simplificação do crédito rural é um dos destaques da Retrospectiva 2019 do Mapa. Foto: Divulgação

Exportações e aberturas de mercados

Brasil ocupa o primeiro lugar nas exportações mundiais de açúcar, café, suco de laranja, carne bovina, carne de frango e soja em grão. Foto: Divulgação

Ainda conforme o Mapa, com safras recordes, o Brasil vem garantindo o suprimento do mercado interno e as exportações para mais de 160 nações. As exportações do agronegócio atingiram, em 2018, 101,69 bilhões de dólares e representaram 42,39 % das
exportações totais do País, que foram de 239,89 bilhões de dólares.

Em 2019, no período de janeiro a outubro, o valor exportado foi de 80,2 bilhões de dólares, ou seja, mais de 43,23% das exportações totais, somando 185,5 bilhões de dólares.

Atualmente, o Brasil ocupa o primeiro lugar nas exportações mundiais de açúcar, café, suco de laranja, carne bovina, carne de frango e soja (grão). Nas exportações globais de milho e algodão, o País aparece na segunda posição.

Em 2019, foram registradas, até novembro passado, 26 aberturas de novos mercados, válidas para produtos diversos, exportados para 16 países, representando oportunidades de acesso a um mercado estimado em quase nove bilhões de dólares.

Além dos lácteos, outra abertura muito importante é a de melões para China, maior mercado consumidor dessa fruta no mundo.

O Mapa também destaca, entre outros pontos, a expansão da rede de adidos agrícolas de 20 para 25 postos, que cobrem 70% do comércio mundial de produtos agrícolas e cinco bilhões de consumidores em potencial.

Preservação ambiental

No campo da sustentabilidade e da inovação, o órgão federal ressalta a importância do projeto ABC Cerrado, uma política agropecuária focada na preservação ambiental e na mitigação de gases de efeito estufa.

Criado para difundir e incentivar adoção de práticas sustentáveis nas propriedades rurais do bioma Cerrado, a iniciativa beneficia produtores de Goiás, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Maranhão, Bahia, Piauí, Minas Gerais, além do Distrito Federal.

ABC Cerrado recuperou aproximadamente 93 mil hectares de pastagens degradadas, em cinco anos de implantação nesse bioma, o que corresponde a uma área de 10 mil campos de futebol

Até o momento, de acordo com o Ministério da Agricultura, o ABC Cerrado recuperou aproximadamente 93 mil hectares de pastagens degradadas, em cinco anos de implantação nesse bioma, o que corresponde a uma área de 10 mil campos de futebol.

Pelo mesmo programa, já foram capacitados 7,8 mil produtores, que passaram a usar a tecnologia quando perceberam o ganho muito rápido de produtividade. Para os próximos anos, o Mapa anuncia que deverá implementar o Plano ABC em outros biomas.

Paisagens rurais

Projeto Paisagens Rurais capacitará e prestará assistência técnica e gerencial a 4 mil produtores rurais de nove Estados e do DF. Imagem: Divulgação Mapa

Voltado para a recuperação ambiental produtiva do bioma Cerrado e a geração de renda, o projeto Paisagens Rurais, lançado neste ano, vai capacitar e prestar assistência técnica e gerencial a quatro mil produtores rurais de nove Estados e do Distrito Federal, orientando o agricultor para o cumprimento do Código Florestal Brasileiro.

Além disso, irá disseminar o uso de práticas de agricultura sustentáveis no bioma mais produtivo do Brasil e que guarda a maior parte da água portável do País. O programa, concebido em parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia, conta com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e da Agência de Cooperação Técnica Alemã (GIZ).

Outros destaques

O Mapa também mencionou como destaque em 2019 o lançamento do Observatório da Agropecuária Brasileira, ferramenta desenvolvida em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que dará aos gestores amplo acesso a informações estratégicas para a tomada de decisões e elaboração de políticas públicas para o setor.

O Ministério da Agricultura ainda destaca a conclusão do Programa Bioinsumos, que irá sistematizar e fomentar serviços, tecnologias e outros processos desenvolvidos a partir de recursos renováveis e adotar práticas alternativas de produção agrícola, pecuária e aquícola, economicamente viáveis e ecologicamente sustentáveis, e chamou a atenção para o recente lançamento do projeto Inovação nas Cadeias Produtivas da Agropecuária para a Conservação Florestal na Amazônia Legal.

A iniciativa tem por objetivo levar inovação para as cadeias produtivas da carne, soja e madeira para que aumentem a produtividade e o valor dos produtos alinhados com o uso sustentável dos recursos naturais e conservação da floresta amazônica. O projeto será implantado de 2020 a 2024 em cinco estados: Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia e Tocantins.

Modernização

Na área de modernização do agro, o Mapa citou, entre outros avanços, o registro automático de bebidas, vinhos e derivados da uva, que agora pode ser feito em apenas uma hora (anteriormente demorava até 60 dias); a emissão, em um dia, dos certificados fitossanitários para cargas em contêineres (o tempo médio era de 10 dias).

O Ministério da Agricultura também cita a integração, a partir de 1º de janeiro de 2020, dos serviços de defesa agropecuária federal, estaduais e da iniciativa privada, por meio do Sistema Brasileiro de Vigilância e Emergências Veterinárias (e-Sisbravet); o desenvolvimento, pela Embrapa, de uma tecnologia inédita para combater a ferrugem asiática, e a integração de dados metereológicos que irá permitir o melhor planejamento de safras e a mitigação de riscos associados a eventos relacionados ao clima.

Acesse aqui, na íntegra, a Retrospectiva 2019 do Mapa.

Por Equipe SNA e A Lavoura

Fonte: A Lavoura e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa)

A Foraster Agrointeligência tem quatro pilares de consultoria para seu negócio Agro - Jurídico, Gestão, Inovação e Tecnologia -

Logotipo

E-mail: [email protected]
WhatsApp: 44 99963 7585

Nome é obrigatório.
E-mail é obrigatório.
Telefone é obrigatório.
Assunto é obrigatório.
Mensagem é obrigatória.
Captcha é obrigatório.